Os Sem Religião

Este é um assunto polêmico eu sei. Cresci num lar super-hiper-mega católico, mas ao longo da minha educação, fui desenvolvendo aversão por cultos e doutrinas, ao mesmo tempo em que aumentava fortemente a minha curiosidade por religiões, que me levou a estudar (de forma amadora) história.

Nunca acreditei que a fé estivesse ligada a doutrinas, cultos e pastores, dízimos e afins; obviamente essa postura sempre me rendeu uma imagem pairando entre pagã e atéia. Tenho minha fé, acredito em um só Deus e acho que ele é um só para todos. Muitos estudos atuais mostram que os escritos sagrados não narram a história de forma tão exata, mas em muitos casos de forma metafórica, para que fosse compreendida pela cultura da época em que foram escritas. Até mesmo a igreja católica (leia-se vaticano) aceita isso. Porque então eu deveria seguir tais doutrinas? Sigo a minha consciência que me diz o que é certo e errado, e peço ao meu Deus que me ilumine acerca dessa decisão, do certo e errado.

O interessante nesse assunto é que se eu já não estava sozinho, faço parte de uma parcela cada vez maior de brasileiros, é o que diz o censo do IBGE. Segundo o instituto, os sem-religião são o grupo que mais cresce no Brasil. Entre 1950 e 2000, aumentaram de pífio 0,5% para expressivos 7,4% da população.

Esse grupo se divide nas suas razões, mas o que me chamou mais atenção é aquele que acreditam na desinstitucionalização da fé, para essas pessoas é simples manter uma relação com o sagrado, com Deus, sem ter uma relação com uma ou outra instituição.

Ainda nas subdivisões dos sem-religião, existem duas categorias muito parecidas: a daqueles que não acreditam nas doutrinas (29,4%) e a daqueles que são críticos das doutrinas (15,1%). A diferença é que o segundo grupo avalia que as religiões são manipuladoras e deixam as pessoas alienadas.

Tenho minhas restrições pessoais e sei que não tenho nada haver com a maneira das pessoas lidarem com a sua fé. Mas acho interessante observar onde a fé das pessoas a estão levando. É um bom ponto de reflexão. Veja mais dos resultados do censo sobre a fé e o relacionamento com a religião e descubra que existem também aqueles que deixaram a religião porque não tem dinheiro para frequentá-las, não é incrível?

Anúncios
Publicado em brasil
18 comentários em “Os Sem Religião
  1. superjG disse:

    essa questão de religão é interessante mesmo. as pessoas estão tão perdidas que elas não conseguem mais filtrar o que a religão tem pra oferecê-las.

    O importante é ter consciência do que se faz, saber o certo, o errado e agir com bom censo. O problema é que principalmente no brasil, a fé é vista com válvula de escape financeiro e social, o que afasta as pessoas do significado de ir pra igreja.

    Esse senso é legal, gostei dele. Revela que tem muito absurdo por aí mesmo

  2. Charimann disse:

    Interessante essa sua postagem. Ela é similar a minha. E, concordo com muitas coisas que disse, o problema é quye em muitos lugares existe toda uma pressão religiosa. ¬¬”

    Ahh sim, coloquei um link para o seu blog no meu 😉

    Abraço

  3. Bianca Elisa disse:

    Mais um texto seu que me motiva. A fazer perguntas, buscar respostas.
    Fui batizada seguindo as práticas da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil. Histórica, esta igreja tem em Martim Lutero sua principal figura humana.

    Sempre me senti livre sendo “orientada” nesta religião. Acredito em Deus, faço o bem, tenho boas atitudes, decido os caminhos que quero trilhar na minha vida. E a igreja não decide ou interfere em nada disso. Isso é muito bom.
    Depois de ler seu post, fui buscar algumas informações sobre a igreja e vi uma frase que reforça meu sentimento. As palavras são de Martim Lutero, e norteiam as ações da IECLB:
    “O cristão é um senhor livre de tudo, a ninguém sujeito
    O cristão é um servo dedicado a tudo, a todos sujeito”.

    E com total liberdade, encaminhei as informações do seu post (e links do censo) para a igreja. Já recebi a resposta e as informações serão enviadas para os pastores/as do sínodo, bem como o estatístico da IECLB.

    Não é legal?
    Que seus textos nos motivem e nos ajudem a refletir sempre.Beijos.TATT.

  4. Gostei muito do post, Júnior. Deixou uma opinião bem pessoal, mas esclarece que não está sozinho nessa. Eu também faço parte desta parcela dos sem religião mas com Deus no coração. hehe! Também me encaixo no grupo dos 15,1%.

    Sua situação é muito parecida com a minha só trocando a religião.Ao invés de católia toda a minha família era evangélica.

    Ah! E sobre seu comentário lá no Blog do Noel, tb acho que o CC dá muito pano pra manga. Ainda não sei ao certo o que achar sobre.

    Abraço Júnior!

  5. Ah! Não sei se você já viu, mas eu te linkei lá na seção Noel Indica. Se tiver como vc me linkar aqui tb eu agradeceria. Mas se não der, tranquilo. Seu link continua lá. O FrigIDEIrA merece. Abraço!

  6. Bender disse:

    Olha, o sem-religião não é ateu ou agnóstico. É mais um sujeito desinstitucionalizado.

  7. […] Um dos meus artigos anteriores não teria soado bem aos políticos em geral, se algum deles tivesse lido, claro. Eles adoram os crentes a um Deus, que seguem religiões e freqüentam igrejas. Decerto por achar estes facilmente manipuláveis, decerto que são, senão, porque despertaria o interesse de tantos líderes? […]

  8. Luciane disse:

    Tem aquela frase célebre do Roberto Campos: “A estatística é como biquini: mostra muita coisa, mas esconde o essencial.” Nesse caso, acho que escondeu que a maioria das pessoas no Brasil que se dizem católicas, por exemplo, não vão missa e não comungam; são os católicos não praticantes. Pra mim isso é como não ter religião. Eu por mim até gostaria de ter religião, mas não encontro uma com a qual eu me identifique. Já fé e esperança pra mim estão muito ligadas, e sem elas eu não saberia viver. Beijo pra ti e obrigada pela resposta ao meu comentário. Bom fim de semana.

  9. bom, venho de uma familia super católica, e foi católico por muito tempo até que descobri que o importante não é o fato de ser “catolico” o importante é acreditar em Deus e te – lo como seu salvador.
    o numero de religião é tão grande que fiquei sonfuzo por muito tempo, mas foi aí que cheguei a conclusão que não há necessidade de ter religião definida por que aparentemente quase todas temem e ou fala do mesmo Deus.
    o interessante é que mesmo acreditando no mesmo Deus vivem em pé de guerra, uma querendo ser mais que outra; “que bobagem hen”
    por isso cheguei a conclusão que fazer o bem quando poder, ajudar alguem quando precisar, e fazer tudo humanamente correto é o que mais interessa para viver bem com agente mesmo e com Deus; não sou o dono da verdade mas é assim que penso e é assim que vivo atualmente, e estou muito bem assim;
    embora parabenizo tudo de bom que os padres, pastores, anciãos, etc. fazem e critico categoricamente o erro grotesco e frequentes que muitos deles cometem.
    um abraço a todas as pessoas de bem deste planeta independentimente de religiões, para mim vale o fator “ser humano”.

  10. Muito interessante seu post cara. Passei a ser um sem-religião depois que comecei a estudar e perceber que não é necessário ter uma religião para “se comunicar” com Deus, e que na realidade a religião é na realidade uma empresa que arrecada dinheiro do povo.

  11. Daniela disse:

    As pessoas que acreditam em deus, mas não seguem uma religião, e sim o uso da razão, são denominadas de deístas. Visite nosso site: http://www.semreligiao.com.br

  12. Almir Marcelo disse:

    Caro Junior.
    Interessante o tema levantado e inusitadas as respostas. Não cabe a mim o juízo de valor, mas gostaria de pedir a sua permissão para usar o material na pesquisa que estou fazendo como monografia no curso de pós-graduação em Ciências da Religião cujo tema é exatamente acerca dos “sem religião”, como fenômeno religioso crescente. Certamente que citarei a fonte do material.
    Desde já agradeço o apoio.
    Marcelo Santos.

  13. jusenaldo disse:

    Olá, para todos sem religião, boa tarde!
    Ser sem religião presume muita responsabilidade.
    O que fazer para melhorar o mundo em que vivemos, sem religião? Aí é que está o problema; substituir a grande alienação milenar por algo grandioso, libertador, de fácil entendimento, sem mistérios, e de preferência, universal.Deus existe incontestavelmente, perfeito: Onipotente; onipresente; onisciente; inividente. É assim que creio em Deus. Ser maravilhoso, boníssimo a ponto de fazer-me com livre arbítrio, sem Dele precisar para nada, pois recebi tudo que preciso, para uma vida feliz e longa,
    em infinita fartura.
    Mas é preciso pregar para o mundo, e viver as seguintes convicções: Nada de cigarro(tabaco), álcool, prostituição e, o pior dos males, a falta de respeito a tudo e a todos.

  14. jusenaldo disse:

    Olá, para todos sem religião, boa tarde!
    Ser sem religião presume muita responsabilidade.
    O que fazer para melhorar o mundo em que vivemos, sem religião? Aí é que está o problema; substituir a grande alienação milenar por algo grandioso, libertador, de fácil entendimento, sem mistérios, e de preferência, universal.Deus existe incontestavelmente, perfeito: Onipotente; onipresente; onisciente; onividente. É assim que creio em Deus. Ser maravilhoso, boníssimo a ponto de fazer-me com livre arbítrio, sem Dele precisar para nada, pois recebi tudo que preciso, para uma vida feliz e longa,
    em infinita fartura.
    Mas é preciso pregar para o mundo, e viver as seguintes convicções: Nada de cigarro(tabaco), álcool, prostituição e, o pior dos males, a falta de respeito a tudo e a todos.

  15. Cuidado com a falta de Sexo…

    Eu até poderia dizer que a falta de sexo faz mal pros miolos ou coisa parecida, mas sexo pra padre é outra coisa, o que muitos deles fazem nas cozinhas e corredores de seminários e salas fechadas das casas paroquiais tem outros nomes.

    Mas numa épo…

  16. Flavio Art disse:

    Sempre se percebeu a existência de Deus, e muitos explora esse nome dizendo
    que é a vontade de Deus…existiam muitos lideres esprirituais dizendo ser o filho de Deus, até com historias parecida com a de jesus, mas foram banidas pelo vaticano. Eu acho q Deus é sim uma força superior e não oq as religiões pregam…
    O filme O egredo!!! chega bem mais perto da realidade do universo de Deus.

  17. Mateus Rossi disse:

    oi pessoal,

    esta é a primeira vez q posto algo na net, pois pela primeira vez me senti motivado para tal. com certeza o assunto disperta mais controversia que futebol e politica juntos.
    esse assunto em tese é algo que domina diversas conversas de meu grupo social, e invariavelmente eu sou o diferente…
    é mais facil ser ignorante e acreditar em qualque religiao, e ser aceito num grupo… dificil mesmo é encontrar alguem com coragem para debater essse tema de maneira aberta e exclarecida… talvez seja melhor viver uma ilusão confortante do que uma verdade frustrante… em resumo acredito que as diversas religioes no mundo foram uma consequencia inevitavel na evolução humana, mas que hoje ja somos capazes de superar nossa ignorancia, e crescermos sem a necescidade de qualque crença, apenas ensinando o que é certo e errado, e melhorando nossa existencia sem o uso das muletas da religiao.

    Agraço, Mateus Rossi

  18. Anjo disse:

    Também não tenho religião, mas forma-se um problema nisso, como obtenho respostas para muitas das perguntas que me surgem? A biblia foi modificada(o novo testamento) para melhor se “inserir” nas instituições, católica, principalmeste, não me posso fiar nela a 100%, ou noutro qualquer livro que diga que contêm a palavra de Deus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: