status quo atual do momento das coisas

Muito que bem, depois de dias sem escrever, site fora do ar, problemas com provedor, algumas manifestações que me deixaram bastante feliz e cá estou novamente. Ficar sem publicar e receber cobranças por não fazê-lo só reforça coisas que eu sempre acreditei, respeito e responsabilidade. Respeito por quem lê, responsabilidade com o que se escreve. Acredito em outras coisas também, mas juro que vocês não vão querer saber muito sobre elas (ovins e um monte de conspirações). Enfim, dias corridos. Ficam minhas desculpas e meus agradecimentos (e também o tempo escasso na semana, sorry).

Eu já disse aqui na Frigideira que não pretendo fazer campanha política, talvez faça descampanha (bem de leve) para um ou outro candidato sem dedo, oops, sem cérebro eu quis dizer, mas campanha não. Acho que todos somos bem grandinhos pra pesar e ponderar sobre o que queremos sentir daqui a alguns meses, se orgulho ou vergonha e desapontamento pelo nosso voto.

Estive dando uma espiada no cenário político e descobri que temos gente ainda tentando legitimar uma candidatura ao senado. Entre eles temos o nosso ex-presidente Fernando Collor de Mello, sim meus amados leitores, ele vive.

O Collor era, e parece ainda ser meio desabiloládo. Seu governo meteu a mão na bufunfa de todo mundo (que tinha bufunfa, não era o meu caso mesmo), assessorado pela não menos maluca Zélia e… não preciso ficar relembrando, certo? Também não preciso dizer que ele promoveu ele fez a abertura de mercado, sem ela estaríamos escrevendo blogs usando o filho do CP500, podem dizer alguns. Não acredito. Alguém teria feito se não ele, mas foi ele quem fez.

Mas o Collor se meteu numa puta enrascada ainda mesmo antes de ser eleito, ele fez uma coisa muito feia na época (agora não é feio) que foi o caixa 2 de campanha. Foi um escândalo e esse escândalo levou os cara pintadas as ruas, conheço muitos que hoje se envergonham disso, de fazer parte daquela legião de mal informados jovens influenciáveis. Também conheço muitos que ainda hoje não aceitam essa condição. Com o caixa 2, ele conseguiu bancar uma campanha milionária, que com a ajuda da sua beleza (Argh!) e carisma (sem esquecermos da sua mulher, como era o nome dela? Mônica? Ai meu Alzheimer!!), o levaram ao posto máximo. Uma vez no posto máximo foi � luta contra o sistema, o seu pecado capital. Ele apedrejou a casa dos outros se esquecendo do seu teto de vidro. As suas intenções eram mesmo boas? Difícil saber.

Eu nunca acreditei que foi a força do povo que o tirou do poder, já na época assistindo a tudo pela janela da Avenida Paulista pensava: Quanta manipulação. Aquelas pessoas foram usadas como massa de manobra para legitimar um processo interno para salvar a pele dos lobos da câmara dos deputados e do senado. Era preciso eliminar a ameaça que o louco da Casa da Dinda representava ao status quo. O Irmão e a cunhada (ai ai, as boas lembranças existem sim, meu Alzheimer é seletivo) não teriam representado nada diferente dos vestidos da Sra. Alckimin se não fosse a ameaça aos seus iguais.

O Collor era maluco e não tinha um plano de governo que pudesse promover grandes e sólidas mudanças nas condições economias e sociais do país, mas ele só teve seu mandato caçado porque ameaçou deputados corruptos, tendo ele, teto de vidro. Eu sempre acreditei nisso.

Status quo, para quem não sabe, não é só uma banda de rock progressivo de uns anos atrás, é também uma expressão latina que designa o estado atual das coisas, seja em que momento for.

Em época de campanha, eu não estou nem um pouco preocupado com quem vai sentar na principal cadeira nos próximos 4 anos, não mesmo. Estou preocupado com quem sentará nas cadeiras das salas ao lado. Do outro lado da rua, como dizia o Jefferson. Ouço muito blá blá blá sobre o voto pro cara, como se o cara mandasse alguma patavina, o Lulalelé serviu pra mostrar que não é assim, afinal ele não sabia de nada e tudo acontecia.

A preocupação deveria ser com o partido, mas a nossa lei partidária é uma piada, de mau gosto. Partido por aqui deveria se chamar somente legenda, algo que alguém precisa pra se lançar candidato a algum cargo político. Preocupemo-nos então com quem está por detrás dos partidos. Naqueles nomes que nem sempre ouvimos e ouvimos e ouvimos nos noticiários, mas que são os soldados dos bastidores. Esses mesmos que apareceram e foram afastados, os irmãos tão adorados.

O governo é feito por quem está nos bastidores. Aqueles que não aparecem nos noticiários. Se aparecer muito tem de ser afastado.

Em tempo, queria dizer que não votei no Collor, nem no Lulalelé, afinal não sou tão competente para eleger presidentes tão eficientes. Só de pensar no Collor como senador dá coisa rúim ni mim. Também não estou comparando os dois, só comparando o status quo. Queria também deixar pra vocês o link para uma entrevista do Collor no começo do ano, na rádio Mix, provavelmente do nordeste, no programa do horripilante Mução. Sei que ele (o entrevistado e muito menos o entrevistador) não é santo, não, não é. Mas reparem que tem um certo quê de razão em alguns pontos e me faz acreditar ainda mais no significado de status quo (não a banda, o latim).

Imagem by: Minha Amada Criadora de Presentes

Technorati Tags: , ,

Anúncios
Publicado em política
41 comentários em “status quo atual do momento das coisas
  1. marina disse:

    ahhhh…. e eu q pensei q vc tava falando da banda..hsuahsuahsuhaushaushaushau hehehehe brincadeiraaa viuuu rsrsrsrsr

    óotimno texto.

    bjs
    te mais

  2. marina disse:

    hehe gosto da sua maneira ironica de postar hehehe

    adoro isso…

  3. Bianca Elisa disse:

    Criar, ajustar imagens. São só algumas criações da criadora de presentes não é mesmo? Adoro trocar figurinhas com meu escritor tão cheio de estilo. Estamos cheios de pronomes possessivos hein? TATT.

  4. Letícia disse:

    “(ai ai, as boas lembranças existem sim, meu Alzheimer é seletivo)”

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  5. Sinceramente gostaria muito que aquele candidato sem dedo (oops), ou sem cérebro (tanto faz), não ganhasse. Mas, como não tem nada menos ruim que ele, parece que vai ele mesmo, né? E concordo com vc; o Collor fez a abertura de mercado, mas se não fosse ele teria sido outro. Naquela época a abertura de mercado já estava passando do tempo e alguém teria feito de qualquer jeito, por tanto, nem esse crédito ele merece.

    Um abração

  6. DO disse:

    Adorei este seu post,JUNIOR. Temos quase a mesma impressão sobre aquela época histórica.
    E não tenho vergonha em afirmar que preferia mil vezes o curto período dele ,do Collor,do que os oito anos do nefasto FHC ou deste Pinócchio ridículo atual…
    Abração!

  7. Diana disse:

    Bom dia…..

    Muito esclarecedor….
    Bjs….

  8. Pedro disse:

    É vejo pelos comentários que fazem de seus posts que você não tem mesmo poder e nem admiração..rsrs
    Quem sabe um dia meu blog será tão lido quanto o seu.
    Curto muito seus textos, e esse é claro está ótimo.
    E o Ozzy, como tá? Também sou vinholatra e entendo o drama do “nosso” amigo.
    A Frigideira já tem um link permanente no meu blog.

    Abraço

  9. Flávio disse:

    Júnior, para mim, o maior erro que o Collor fez na campanha foi expor aquela ridícula declaração da ex-namorada do Lula, lembra? Depois daquela baixaria, que deu uma boa dimensão do seu caráter ou falta de, eu jamais votaria neLLe; votei no Covas no primeiro tirno, e no Lula no segundo, por falta de opção. Qto mulher dele, não era a Mônica, mas do pescoço pra cima, parecia… o resto era bem aproveitável! 😉

  10. DriScully disse:

    Pior que isso só o Clodovil mesmo!!! Brasília não será mais a mesma HAHAHAHAHAHAHHAHA AAFFFF é de amargar!

  11. Silvia disse:

    Junior, adorei o seu termo: desabiloládo, HAHAHA!

  12. Ellen disse:

    Gostei, quase didático! Me fez lembrar que eu tenho que escolher.
    Não votei pra presidente, estava em outra cidade…
    ;o)

  13. Ricarda disse:

    oi querido… bom, eu felizmente, pelo menos do mal de ter eleito Collor eu não passei, até porque eu não idade pra votar, o que eu fiz (pobre de mim) foi ter marcado o X na cédula pra minha vó, que votou no jovem e bonito candidato. Nem quero lembrar da Casa da Dinda. E outra coisa, não quero nem ficar pensando nesse tal de caixa 2, porque tem gente muito dissimulada por aí que diz que isso não é errado. Como sempre, seu texto “matou a pau”. hj acho que estou levando tudo no duplo sentido….. rs…..
    beijos

  14. Jacque disse:

    Collor é psicopata, perverso e com delírios de grandeza, e o pior é que conseguiu realizar seus delírios; eu não tenho dúvidas quanto a isso.
    Quanto ao banner, pode usar sim. Eu peguei no blog da Luma há um tempo atrás. Ela mesma disse que estava lá justamente pra todo mundo copiar.
    Beijos.

  15. Sara disse:

    Ola
    Cheguei aki através do blog do Dono do Bar
    Parece que indicamos o mesmo livro ( que ele acabou comprando ) E vim matar a curiosidade de um cara que tem muito bom gosto
    E adorei o que vi.. li vou voltar mais vezes
    Bom quanto ao seu post acho que nao posso concordar que preferiria o mandato do Collor mesmo porque meu pai perdeu uma boa grana naquela epoca..
    Passamos uma fase bem apertada
    Mas também eu preferiria aquela época sabe? acho que falta um pouco daquele povo todo com vontade de fazer algo diferente , vontade de que algo aconteça
    Pode ser sim que não foi o povo que o tirou de lá
    E eu acredito nisso sim
    Mas pelo menos lutaram por alguma coisa
    Eu era muito nova pra entender direito o que estava se passando .
    Mas hoje entendo que as coisas só mudam se a gente fizer alguma coisa…

    Bom voltarei mais vezes ja falei muito
    Beijokas
    Sara

  16. Ana Paula disse:

    Adorei a entrevista, e a voz do entrevistador. Parece o Porteiro Zé!

  17. Pedro disse:

    Pra resumir o discurso:

    “Obrigado pela preferência”

    putz…num podia perder a oportunidade de citar um clássico.

  18. naomi disse:

    o que me dá gastura é ver que inda se escolhe presidente da ré pública como quem escolhe qual big brother é o mais pobrinho, mais coitadinho, mais humilde, o que “merece mais [com toda a subjetividade que esse “merece” carrega].

  19. Claudio disse:

    Que bom que voltou. E voltou com um post genial. A espera valeu a pena, como sempre.

    abração

  20. Matilda disse:

    “O governo é feito por quem está nos bastidores. Aqueles que não aparecem nos noticiários. Se aparecer muito tem de ser afastado.”
    Pois, se é isso, e é, só fica quem não atrapalha, só fica quem o “poder” quer…
    Enfim, concordo sim, no certo que de razão…

  21. Lula disse:

    OBAAAAA! TEM BIFE NA FRIGIDEIRAAAA! demorô, broder. Qué mata di fome? Gostaria de estar aí com vc só pra ver como vc cria o título de seus posts. Aposto q eles é q dão mais trabalho, né? hehe. Mas voltando ao Status quo atual do momento das coisas, acho que, independente de ser um presidente bom ou ruim, sempre aproveita-se algo da gestão administrativa (isso existe, aqui?) deles. Como eu disse lá no meu, e concordando plenamente com vc, é lá na “casa ao lado” que se decide (ou não) os destinos de todos nós. Posso sugerir?: Rezemos.
    Abraços.

  22. Dono do Bar disse:

    Quem bom que voltaste. Mais blogs como o seu é tudo o que eu queria na Rede. Finalmente pude dar um “oi” para os amigos. Enquanto não terminar as reformas no meu apto, as coisas não retornarão ao normal. Quanto ao Collor, a única coisa boa que me lembro foi da abertura de mercado. De resto, foi um caos. Pra dizer a verdade, tenho nojo da cara dele.
    Abraços!

    DB.

  23. Valérie disse:

    Oi Júnior! Valeu a visita. Comecei a te visitar há um tempo por causa do QL.
    Daí achei o seu blog no Blogblogs e adicionei aos meus favoitos de lá.

    Valeu
    Abcs

  24. Junior sabe que continuo “collorida” até hoje? Morava em Brasilia e vi a massa de estudantes idiotas, sendo manipulada. Eu de fora. Só collorindo.
    Liliane de Paula

  25. renan disse:

    Ola, então.. sobre o meu blog.. o rss, eu não tenho idéia de como funciona isso cara. Se você puder me dar um toque de como funciona eu agradeceria realmente. Não tive tempo ainda de ler o texto atual, mas prometo em breve ler, porque realmente vale a pena. Um abraço!

  26. Vai chegando essa época e eu vou ficando com raiva…rs é tanta bobagem que temos que ouvir e sempre as mesmas coisas e pessoas. Gostei muito do seu espaço… Tudo de bom pra e muita luz

  27. Flavia Sereia disse:

    Qual foi o template que vc achou bonito? eu já mudei tanto lá no wp que nem sei mais hehehe

    Como estou cansada agora de tanto mexer no wp não to com cabeça para comentar sobre politica, mas depois passo aqui e leio com calma e faço um comentário decente 😀

    bjs

  28. Charimann disse:

    É triste, mas é a nossa realidade né…
    Eu nem posso falar muito da época de governo de Collor porque eu era moleque nessa época e, não tinha, obviamente, noção alguma em polítca mas, já li tanto a respeito do cara que tenho minhas reservas com ele.

    Excelente postagem.

    Abração

  29. Luiza Voll disse:

    Ei Júnior. Se é autobiográfico eu não sei… Os quases não existem! Bjs!

  30. Luma disse:

    Pode ser que exista um poder paralelo que tenha tirado o Collor do poder e que as urnas sejam apenas fachada para eleger quem esse poder quer que esteja lá. O Lulla mantém mais motivos para um impeachment que o Collor na época. Concordo com o Collor quando diz que o Lulla está provando do próprio veneno. Todo aquele discurso feito antes da campanha não está valendo de nada. Não entendo essa pesquisa de ibope. Seria essa também manipulada por esse poder paralelo??
    *Que voizinha essa do locutor. Bom fim de semana!! Beijus

  31. Marcia Kawabe disse:

    Junior eu também peço desculpas pela ausência aqui, eu continuo tão enrolada quanto cabelo de …, bom deixa pra lá! 🙂

    Adorei a história do cão beberrão hahaha. Vou fazer essa experiência com o Vaquinha. E quanto o “causo” de hoje foi eu mesma que escrevi. Que bom que você gostou porque postei ontem a noite, mas hoje cedo por muito pouco não exclui. Coisas de virginiano 🙂

    Bom fim de semana pra você!

    bjs

  32. Nina disse:

    As pessoas se preocupam mt em eleger o presidente mas preocupam pouco com os outros cargos, que muitas vezes ficam no bastidores, mas são responsáveis por todo o espetáculo.
    É o caso de quem faz as leis, de quem participa das opiniões. Não sou a favor dos EUA, mas se tem uma coisa q eu admiro é o voto por partido, porque essa putaria, esse carnaval q é a política do Brasil, ñ tem como votar decentemente. Enqt ñ houver uma unificação dos valores, de idéias, uma união maior que isso, vamos continuar nas desavenças, nos caixa 2 e na corrupção legalizada.

  33. Cris disse:

    Oi Junior!

    Concordo com todos, discordo de tudo… Política no nosso País é algo horrível de se conversar, que dirá, discutir…

    A situação atual mee entriste,temo o futuro… Como será?

    Beijos com carinho,

  34. Andréa N. disse:

    Nossa, que medo. Só de pensar no Collor dá arrepios.

  35. Lara disse:

    7:00h da matina…morrendo de sono…o post deu um nó na monha mente hehehehhe
    To sentindo a maior falta de passar por aqui! Logo logo porém a situação deve ser normalizar!
    Bom fds!bjus

  36. Lara disse:

    rinite deve ser uma droga…mas me assustei com o lance do rim…brincar com uma coisa dessa hein?tststs 😛

  37. Olá tudo bem? Não falei que voltaria! Quero te desejar um ótimo domingo e um semana cheia de luz. Abraço

  38. Lara disse:

    Não sei se vou pode passar por aqui essa semana…entaum…já passando para desejar uma excelente semana p vc!
    Bjus

  39. Douglas disse:

    Política? Fraude e Collor/Lula/Senador? Não mais…
    Sinceramente não quero saber disso mais, uma palavra que tenho empregado (e vou empregar mais ainda) é: NULO. Estou nulo em relação a esse país e assim pretendo continuar. Pode parecer que estou revoltado, mas não…tô até cantando agora enquanto escrevo…rs

    Abraço!!!

  40. […] Nessa semana fui consultado por e-mail (olha que chiq) sobre a necessidade do candidato lider nas pesquisas de comrar um dossiê sobre seus adversários, já que está com a eleição praticamente ganha, leiam a minha resposta. Vamos lá. Eu sempre falo que deveríamos prestar mais atenção em quem está ao lado, ou nos bastidores do poder do que em quem está ocupando o maior cargo do poder. O PT tem grandes 2 forças, uma delas concentrada em SP, onde ele nasceu. A outra é o restante do país. […]

  41. […] Mudando de assunto, eu tava pesquisando alguma outra coisa e encontrei essa capa da veja, com os principais tópicos dos 2 candidatos de 89. A gente pode que o lulalelé defende coisas como o paternalismo, os cargos políticos nas estatais, o calote da dívida com o FMI entre outras. Já o Collor, quer acabar com os privilégios dos políticos no governo, privatizar e acabar com o comércio de cargos dentro das estatais, abrir o mercado e vejam só, melhorar a distribuição de renda. Ai ai, parece que andamos pra trás. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: