Homem Avestruz e sua Mulher Alface

Quantos técnicos de football a seleção brasileira tem? Já ouvi dizer que todo brasileiro é técnico da seleção, me incluam fora dessa. Eu não gosto de football, e não entendo nada das suas regras, muito menos das regras dos campeonatos. É tudo muito complexo, um monte de posições, estratégias de ataque, formações. Os campeonatos com regras de ponto corrido, outros de outro jeito que nem sei o nome (Écat!). É muita coisa pra aprender.

Mas o brasileiropocotó lida de maneira extraordinariamente fácil com essas informações todas, consegue compreender as leis da vantagem, as pontuações, o sobe e desce (Oops!) das tabelas e divisões, mandos de campo e tudo mais. O gari que trabalha no fedidão coletando lixo aqui na minha rua, sai do selviçu e dá uma aula de matemática e estatística no boteco da esquina. Nuca vi capacidade estratégica igual, manja até de campeonatos internacionais. É impressionante a capacidade de um sujeito praticamente analfabeto de lidar com tanta informação, e sem colar como faz o presidente. É impressionante o seu interesse por essas informações, dele e do presidente.

Outra coisa que me causa espécie, é a indiferença desse mesmo brasileiropocotó com assuntos muito, absurdamente mais importantes para a sua vida, assuntos que vão fazer diferença no seu futuro, no futuro dos seus filhos e na vida que todos vão levar. Assuntos que são relativamente mais simples, afinal, basta entender a relação entre 8 ou 10 índices e pronto, já se tem o suficiente para ver o mundo com outros olhos.

Mas do que esse mala-sem-alça do Junior está falando agora?
Poutz! Agora ele deu pra dizer que eu preciso entender de macro-economia!

Eu fui empregado por uma vida e não precisava me preocupar com muitos números. De uns tempos pra cá sou micro-empresário e acreditem, é mais difícil. É bom que eu entenda pelo menos um pouquinho sobre macro-economia, afinal, eu deixei de consumir uma vaga de emprego para gerar empregos, tenho famílias que dependem do sucesso do meu empreendimento que por sua vez depende em grande parte das minhas decisões, mas não só delas, pois preciso entender como o endividamento público influencia no poder de compra dos consumidores com relação ao meu produto, além de algumas outras coisas.

Por isso eu estou sempre de olho no que os comandantes da nação, assim como os candidatos ao cargo, estão pensando em fazer no próximo semestre, no próximo ano, no próximo mandato. As decisões deles influenciam demais na vida de empresários. Mas os empregados não tão nem aí pra isso, como se essa influencia não chegasse até eles.

De fato, depois dessa minha transição, eu fiquei com a impressão que o brasileiropocotó confunde conceitos de economia com política, já que historicamente não dá muita bola pra essa última. Faz tempo que não uso essa expressão e gostaria de dizer aos mais novos de Frigideira que eu também sou um brasileiropocotó, todos nós somos. Quando o assunto economia passa pela sua frente ele enfia a cabeça no buraco pensando que tão falando de política. A Bruna deixou um comentário bastante interessante sobre isso.

Seria essa a síndrome do empregado de classe média baixa? A síndrome do avestruz? (a ispiração para isso nasceu com o comentário do DO) Ou será que nós temos uma anomalia muito grande na relação entre o número de empregados e empresários? Eu não pesquisei isso, mas adoraria saber mais sobre a relação de empregados por empresários adequada a um país, quem souber, please.

Na minha visão, se tivéssemos mais empresários teríamos mais empregos disponíveis. Para isso precisamos de mais pessoas com espírito empreendedor e não costumo encontrar muita gente assim. Quando as pessoas passam a entender o básicão de economia, das relações economias entre os países balança comercial, câmbio e afins, quando elas passam a ter só uma noçãozinha, a sua visão de mundo muda completamente, e mudam os valores também. As pessoas passam a entender melhor os seus governos e podem julgar com mais propriedade o que ele está fazendo pelo país.

A Raquel também comentou aqui que o povo ta preocupado com as coisas mais visíveis nas suas vidas e não com a dívida. Mas se a dívida pública não diminuir, ou ao menos parar de crescer no ritmo atual, a vida dessas pessoas será pior ainda, e mais filhos além dos de hoje vão passar fome. Trágico não? Trágico pra mim, pro avestruz isso não é nada preocupante, ninguém dá um peanut pra droga da economia.

Muito tem se falado em geração de empregos, e muitos tem ficado felizes com as propostas, que historicamente não passam de propostas. Tudo bem que faltam empregos, mas em minha opinião o brasil carece mesmo é de mais empresários. Empresários sérios, que recolhem impostos e registram funcionários. Acho mesmo que pouca gente fora do meio empresarial entende alguma coisa de verdade quando se falam de investimento em infra-estrutura, reformas tributária e trabalhista, com exceção de economistas, claro.

Não to aqui dizendo que todo mundo deveria sair abrindo suas próprias empresas, quando eu digo empresário, digo no espírito, entendem? Também não é pra sair comprando só livros de economia, muito menos a transformar seus blogs em blogs ranzinzas como esse. Mas aprender sobre economia mesmo sendo empregado, vai ajudar a entender porque você nunca vai conseguir aposentar-se, e se o fizer, o porquê de precisar continuar trabalhando pra sobreviver. Que horrível, não? Mas se consolidar essa cultura no seu dia-a-dia, seu filho e netos poderão ter um futuro melhor que o seu. Não se fala que educação é importante? Economia faz parte da educação.

Ta na hora do brasileiropocotó dividir um pouco da sua preocupação pelo football, com a filha da Gretchen e com a bunda da mulher alface, com assuntos um pouco mais relevantes. Podem se preocupar com essas coisas todas, diversão é indispensável, mas enquanto a maior criação de avestruzes do mundo não começar a olhar para os números do seu querido paizéco, e cobrar por ações inteligentes sobre esses números, só verão o cenário piorar ainda mais. Ahh não vão ver coisa nenhuma.

Tudo bem, essa carapuça não serve pra você, eu nem escrevi esse texto por causa do texto anterior mesmo. E toda vez que você vem aqui é a mesma coisa não é? Esses assuntos tão down.

Talvez eu que seja um mal empresário, afinal. Talvez eu seja o errado do mundo, talvez fosse melhor eu só comemorar as coisas positivas e deixar as negativas pra lá. E se eu fosse mais positivista? Se eu ficasse feliz por as coisas não piorarem tanto? Se eu fosse assim, estaria enfiando a minha cabeça no buraco, deixando o rabo bem virado pra cima e me lixando se as coisas poderiam ser melhores ou não, comemoraria a mesmice.

Um grande viva ao pão, outro viva maior ainda ao circo.

Update 24/10: A Ana Shirley, que é maranhense, escreveu um texto, chamado A Ausência (23/10) bem interessante que aborda o assunto, indico a leitura.

Anúncios
Publicado em brasil
46 comentários em “Homem Avestruz e sua Mulher Alface
  1. NO_PANICO disse:

    Parabens. não havia como ser melhor comentado, muito bom seu texto, e muito melhor a ideia do seu texto parabens NO_PANICO

  2. Luma disse:

    Um homem assumindo que não gosta de futebol!! Isso é alentador! Coloque-se no lugar de uma mulher escrevendo esse texto, o resultado é catastrófico!
    Junior, é muito cômodo ser empregado. O empresariado anda fulo com o governo porcadiquê? É só multiplicar o número de funcionários por três e descobre-se a sua responsabilidade fiscal.
    É comodo sendo empregado e sentar no buteco pra falar de futebol, da mulher alface e coisas e tal. Enquanto que o empresário, repousa a cabeça no travesseiro pensando em números.
    Sabe aquela velha história: Eu era feliz e não sabia? Bora, voltar a ser empregado e pouco se lixar pras ocilações do mercado e só pensar no dia do recebimento do salário.
    O Brasileiro precisa se informar mais, inclusive tem uma lei, que diz que enquanto a pessoa jurídica pode doar 6% de sua receita de imposto do renda para causas assistenciais, a pessoa física pode fazer doação de 1%. Parece pouco, mas imagina cada trabalhador fazendo isso?
    Boa semana! Beijus

  3. Roby disse:

    Junior bom diaaaaaa!!

    Somos dois..eu tb não entendo quaseeee nada de futebol,
    na época da copa fico eufórica, e meu marido me olha com uma cara irônica porque me vê o tempo todo dando palpites..heheh

    Abração e um bom início de semana.

  4. DO disse:

    JUNIOR

    Deus queira que vc nunca tenha esta síndrome de avestruz,meu amigo.
    É claro que concordo com vc que o país precisa de mais brasileiros com espirito empreendedor. O caminho é este mesmo. Masssss…,e sempre tem um mas,hoje abrir uma empresa é ser sadomasoquista,pra não dizer,SUICIDA.
    Levantamento do SEBRAE informa que 90 % das empresas fecham antes do 5º ano. Metade após dois anos.
    A carga tributaria e as exigencias fiscais são tão abusivas e absurdas que haja espirito empreeendedor.
    O tema é longo e complexo e,perdoe-me ,não adianta ser discutido enquanto não tiver alguem ,DE PEITO,neste país que reduza a nossa jurássica e dispendiosa máquina pública. É muito dinheiro arrecadado e mal gasto.
    Ufa,to falando demais.
    Mas,mudando de assunto,te convido a assistir uma partida de bom futebol,pra vc entender o pq de ser tão popular,heheheh
    Abraços!

  5. Flávio disse:

    Júnior, panis et circensis é um problema tão antigo, que já ferrava os cristãos no império romano… e ainda nos ferra até hoje, influindo na escolha dos nossos mandatários; que, por sua vez, influem na condução da economia. Qt à avestruz, o grande problema é que, toda vez que se esconde a cabeça, é preciso levantar o rabo! 😉 Mas que o futebolzinho do domingo, na TV, é bom… ah, isso é! 🙂 Abração

  6. Diana disse:

    Bom dia……

    Eu sou assim….e gosto de futebol..
    Mas…não sou alienada não….
    :(……
    Boa semana….
    Bjs….

  7. Carla disse:

    Bancar o avestruz é, para a maioria, mais “fácil” e mais cômodo, né? Mas ainda bem que sobram pessoas como eu e vc, que preferem voar, ao invés do passáro na mão. Bjus.

  8. Ana Paula disse:

    Bravo! Como sempre, e pára com isso de que vc é ranzinza. É nada! Vc bota pra fora, de uma forma maravilhosa, as coisas que muita gente pensa… eu inclusive! Compartilho com a sua opinião. Adoraria poder ter meu próprio negócio, mas não sei nem por onde começar… Concordo com vc que os brasileiros, em sua grande maioria, não têm espírito empreendedor. Eu não tenho a resposta do motivo disso, muito menos da solução. Eu só tenho pena de sermos como somos.

  9. raquel disse:

    é de se impressionar mesmo

    futebol na telinha (porque no estádio tá caro), cerveja gelada e churrasgato são a tríade da alienação desse país!

    tá certo que temos que viver um dia de cada vez mas o povo leva isso muito à sério! e os projetos à longo prazo? por isso que assistencialismo dá tão certo no brasil! dinheiro AGORA é o lema! precisamos comprar o churrasquinho e o leite das crianças!

    por isso e muito mais gosto tanto do cristóvam buarque. a solução pra esse país é REEDUCAÇÃO EM MASSA! sem isso, não tem jeito.

    beijo, junior!

    ps: na hora que vc passou lá no blog eu tava dando uma arrumadinha!

  10. cilene disse:

    Junior..ooutro dia num blog muito bom, esqueci o nome agora, li que as meninas ficam gravidas por causa da igreja que e contra o uso da camisinha…ai nao dar amigo…As meninas recebem as informacoes necessarias para prevencao…se ficam gravidas e por outra razao…como e por outra razao que o povo brasileiro vota em bandido..porque todos os dias esse mesmo povo recebe informacao disso, daquilo, mesmo os analfabetos…parece que o que falta mesmo e interesse de entender as coisas como elas funcionam sejam micro..ou macro ecnomicas..

  11. Claudio disse:

    Junior, concordo com tudo que você escreveu no excelente post, menos a parte do futebol… eu adoro futebol e acho que dá para conciliar s coisas. Quanto ao avestruz, realmente o problema maior é deixar o rabão de fora….. cuidado !!!

    abração

  12. Tina disse:

    Essa é uma triste constatação no Brasil: comodismo! Mas não deixa de ter justificativa: basta se inteirar do tamanho da bur(r)ocracia a ser enfrentada no país para se abrir (e eventualmente fechar)um negócio, sem mencionar a carga tributária que é vergonhosa para ambos. E aí, por maior que seja o espírito empreendedor, haja!!! Excelente texto, parabéns!

    beijos querido e boa semana!

  13. Dani F disse:

    Oi junior!!!
    Bem apesar de não ser um relato cômico, como o meu,( os meus são sempre trági-cômicos), eu acho que tens toda razão nisso tudo. Teu brasileiropocotó é o meu “povo-bunda”. Sim, eu chamo de povo-bunda por que se comporta e pensa como tal.
    Me irrita tanta ignorãncia, tanta falta de noção das coisas. melhor as novelas que o que acontece no planalto..tá certo tudo é uma merda..mas temos que fazer algo e logo!
    Nem sei o que é pior ser empregado ou empregador…
    beijo e boa semana prá gente!!!

  14. Chris disse:

    Bom, primeiramente, licença por adentrar o espaço e já chegar comentando. Em segundo, a coisa é tão complexa que nem sei por onde começar. Talvez dizendo que estamos em um país que não apoia empregadores e sim salários de fome. Ou talvez dizendo que falta visão global das pessoas que estão mais preocupadas como conseguir um “cartãozinho daqueles que o Lula dá” do que com a situação econômica nacional. Em compensação, na contramão de tudo isso vem mais um bando de fatos que sustentam a teoria de que povo “deseducado”, no sentido acadêmico da coisa, será povo de cabresto sempre….

    Enfim, a bagunça é tão grande que nem consigo sugerir solução imediata.

    Cheguei aqui por que ti “vi” na maioria dos blogs que visito. Gostei =)

    Boa semana e até mais….

  15. O problema não é o futebol, são os “técnicos”…
    Segunda- feira é uma desgraça ficar ouvindo comentários do tipo “nóis ganhemu”, “nóis tamo na frente na tabela” e outras pérolas que irritam qualquer ser com mais de dois neurônios

  16. Alequites disse:

    Passei para dá uma olhadinha no menu do dia.

    Poxa! Também não tenho “saco” para futebol. Vamos gastar a cabeça em coisas melhores.

    Boa Semana! Beijos

  17. Ana Shirley disse:

    então quer dizer q seu blog é ranzinza?
    =o
    nunca foi tão dificil escolher um candidato como nessas eleições, onde ñ se tem exatamente um opção boa e outra ruim, mais sim um revés, de um canditato digno, porém mais ou menos ruim, e um outro completamente lesado, seja por ter culpa no cartorio ou não, a questão se torna irelante frente a todos os erros…
    sei lá, ter q escolher entre os ruins e os piores ainda, vai ser dificil, porém ñ pretendo me omitir

  18. Ana Shirley disse:

    obs: não só o futebol, o besteirol do fim de semana, e as belas mulheres semi nuas desse pais..mais tudo, é tão mais facil de se fazer alguem desenvolver um ponto de vista sobre o q quer q seja estando este longe da sua principal fonte de alienação..a tv, sei lá…

  19. Flavia Sereia disse:

    Realmente também penso que se houvesse mais facilidade para se montar uma empresa, mais isso geraria empregos.
    O lado ruim do homem avestrus é que ter que ficar com o rabo de fora, ai já viu né, só leva.

    bjs

    Ahh Junior, que pluigin vc usa para receber os comentarios no e-mail?

    bjs de novo rs

  20. O povo brasielrio é um dos maiores empreededores do mundo.È só olhar o número de empresários à margem do sistema. O estado brasilerio é que precisa modernizar-se para não fazer o povo bancar a vida de uma casta de políticos, funcionários públicos apátridas e magistrados que não estão nem aí para a cidadania.Um empresário para sobreviver tem que sonegar e aturar empregados que só qurem um emprego e não um trabalho.

  21. Junior, antes de começar, um parabéns pelo excelente texto!

    O brasileiro tem espírito empreendedor. Somos um dos povos mais empreendedores do mundo. Porém, isto se torna irrelevante face ao fato de que mais da metade das novas empresas fecham antes do segundo ano de vida. E qual o motivo? Eu acredito veementemente que seja por causa do mal planejamento. Ou melhor, da falta de planejamento. Como diria minha namorada, a Heri, brasileiro abre empresa “nas coxambras”, de qualquer jeito, e dane-se se vai dar certo ou não. Acha que o cosmo conspirará a favor do negócio, que nada o abalará, e quando cai em si, já era.

    Outro ponto correlacionado ao assunto é a alta carga tributária que os empresários têm. Aí o cara, desesperado, sonega, e dali a algum tempo, o negócio vai para o saco, aumentando as estatísticas de falência de empresas novatas.

    Às vezes faço um esforço para crer que o Brasil tem jeito, mas na maior parte do tempo acredito que esse país está condenado a ficar na merda. Quando vejo um “brasileiropocotó” discutindo o campeonato brasileiro no boteco com tanto afinco, e paralelamente, vejo o resultado de uma pesquisa de opinião do segundo turno das eleições para a presidência, aí sim que esta sensação atinge níveis elevados.

    Dá até vontade de ir pra outro lugar desse mundão. De verdade.

    []’s!

  22. Pedro disse:

    Eu, Me preocupar? Pra que? Que diferença eu vou fazer sozinho?

    E por pensar assim q nosso povo perece, e quanto ao pão e o circo: Vamo bota fogo no circo, e enfiar o pão no…bom minha educação na permite continuar essa frase.
    Sabe aquele cara que le se informa, mas nem gosta de falar de política porque esse assunto lhe sobe a cabeça? Pois é. As vezes esse pais, nós o povo, e o “benditos” políticos me revoltam.

  23. deia disse:

    Oi querido Junior.
    Teus posts sempre tão bem escritos e tão contundentes.
    Pão e circo ainda é a melhor política, parece que quase todos se contentam com isso.
    Passando rápido pra deixar beijos e voltar correndo pra colocar uma Salompas, rsss
    Linda tarde, muitos beijos.
    ps; começo a achar que vc é de outro mundo, não gostar de futebol? vc é o primeiro homem que já vi assumindo isso, parabéns.
    beijos

  24. Valérie disse:

    Sabe quantas vezes já passei por aqui tentando ler este texto? Só hoje umas 4. Ontem umas 6..rsrs Verdade! Toda hora acontecia uma coisa, eu tinha que parar. E se não prestar atenção não dá né?

    Eu acredito em duas coisas necessárias de imediato para o Brasil:

    1)INDUSTRIAS: em todo o país principalmente naquele fim de mundo do sertão nordestino. O povo ali precisa de trabalho! E de comércio o Brasil tá cheio, fora o comércio ilegal. Industria necessita de investimento e por conseguinte a região cresce.
    2) EDUCAÇÃO: claro que precisa de educação para o povo gente! Começo de baixo: pré escolas, creches, ensino fundamental. Segundo grau, só técnico. Muitos cursos técnicos. Precisamos de faculdades? Sim, mas o que vejo hoje são diplomados fazendo trabalho de técnicos!

    Não aguento mais assistencialismo! Não aguento mais política de tapar buraco!

    desculpe o desabafo!

    bjs

  25. Vânia disse:

    Então vc foi ao show do Madredeus? Como vc é chique bem!
    Q inveja :p
    rs
    Tenha uma ótima semana.
    Bjos.

  26. Clara disse:

    hum….. eu tô de saco tão cheio de tudo, que tô virando aveztruz….

  27. Clara disse:

    ah, e eu gosto de futebol…

  28. Lu Brasil disse:

    Olá, cheguei aqui pelo link lá na Beth. Também tenho “negócio póprio” e sei bem do que estás falando. Ter gente dependendo da gente, enquanto a gente depende das decisões do besta-fera é triste demais. E pelo jeito não vai mudar.
    Abraço

  29. Ana Shirley disse:

    um dos maiores indices foi aqui mesmo do maranhão.. é triste mas esta enraizado de tal forma que é quase inimaginavel vislumbrar eles pensando nisso de outra forma..enfim a gente continua tentando!
    nhaaaaaaaaaaaaaaa jura que vc achou tudo isos do meu post! =D
    *emocionada* kkkk pode sim moço pode linkar seria uma honra
    bjus
    o/

  30. Puxa vida! Fiquei assustada com a cara do avestruz. De longe são bonitinhos.
    Acho que ser emprendedor por aqui é coisa de louco. Eu não teria coragem. E não acredito que vá diminuir desemprego se não houver uma reviravolta na política fiscal praticada por aqui.
    Liliane de Paula

  31. aninha-pontes disse:

    Está certíssimo, não tem nada de down não. Enquanto o brasileiro achar que não tem nada a ver com isso, que um simples voto, não faz diferença. Que deve votar, em quem está vencendo as pesquisas, afinal não quer “PERDER” seu voto, a situação do pão e circo para os otários vai continuar.
    Mas é isso que conta né?
    Claro que todo mundo pode e deve se divertir, mas minha mãe já dizia; Primeiro a obrigação, depois a diversão, sábia ela.
    Na verdade, falar em política é muito chato, em economia ainda mais, mas necessário, o brasileiro nem sonha que a aposentadoria é um sonho, que aquilo que ele imagina para o seu futuro, juntinho com sua “véinha” é utopia, ah! mas também ele não sabe o que é utopia né?
    Pobre brasileiro. O que importa é continuar dando bolsa esmola, mas para isso o povo não pode ter cultura, do contrário não vai aceitar isso.
    Afe! chega né?
    Beijos

  32. Flávio disse:

    Júnior, voltei só pra te avisar que larguei um caso engraçado por lá, hj. 🙂 Abração

  33. Douglas disse:

    Bem, também não gosto de Futebol, como consequência não entendo nada. Não entendo nada de economia também, talvez eu seja tapado. Ou não, mas enfim, me vem à mente que preciso aprender um monte de coisas…

    *medo*

    Abraço!

  34. Aldemir Silva disse:

    Olá Júnior,

    Seu texto deixa bem claro que faz-se valer a máxima do capital: Fazendo o que é bom para si logo estará fazendo o que é bom para todos.

    O brasileiro realmente precisa entender um pouco mais de economia. Mas com a educação de hoje é bem difícil formar cidadãos conscientes. A alienação muitas vezes começa na própria escola.

    Os altos tributos e até a falta de habilidade técnica dos novos empreendedores (que muitas vezes são uns pocotós da vida) são os motivos mais evidentes do fechamento de empresas.

    A culpa é de quem? Dos novos empresários? Do brasileiro pocotó que não recebe educação? Acho que não.

    O sistema ruiu. Não haverá mudanças milagrosas ainda que sejam possíveis.

    PS: Ando meio sumido por conta daqueles problemas de saúde. Estou começando a odiar médicos mesmo precisando deles.

    Abraços.

  35. Olhos de Mel disse:

    Júnior, cada um fala daquilo que mais lhe toca. E tem esse direito, né? Não podemos rotular pessoas, por terem visões diferentes das nossas. Até porque o amadurecimento das ideias perpassam pelas divergências dieológicas.
    Bom dia! Bjs.

  36. anny disse:

    olá…vim conhecer seu cantinho..bão de futebol eu entendo que a bola é redonda vale? eheheh adorei o texto beijos

  37. Chico disse:

    Oi Júnior..

    Bom texto !

    Brasileiropocotó ? NInguém merece ? Mas poucos têm o que merecem não é mesmo ?

    Gosto de futebol, mas não suporto ver/ouvir conversas de futebol.. Me dá nos nervos ! Acho uma total perda de tempo…

    Empreendedorismo é a solução, mas para chegarmos lá com um certo nível de qualidade, precisamos de pesados investimentos em educação.. e é claro, menos impostos..

    Eu comentava sobre privatização lá no blog, e enquanto escrevia fiquei lembrando de uma reunião com vários ex-funcionários de um banco cearense recentemente privatizado, BEC.. Estes funcionários acabaram pegando a grana dos famosos PDVs e usando esse rico dinheirinho para arrumar a vida.. Aqui é engraçado ver como muitas pessoas acreditam que arrumar a vida é comprar um carrão zero quilômetro..

    Alguns abriram o próprio negócio.. Por várias razões (espero falar sobre elas lá no Casa qualquer dia desses) 90% dos negócios criados no início do ano passado não mais existem e as consequências disso na vida daquelas pessoas foram as mais variadas..

    Empreendedorismo e gestão responsável de pequenos e médios negócios é uma das chaves para criação sustentável de empregos.. Mas as pessoas não têm idéia de como é complicado ser empresário..

    Quando alguns decidem procurar informações sobre o assunto, abrem direto o caderno de esportes.. aí f&##¨% !!

    Abraço,

  38. Carla disse:

    Jr, obrigada, mais uma vez, pela sua visita e seu comentário! Bjus.

  39. Paloma Garcez disse:

    Olá!! Obrigada pelo seu comnetário lá no meu cantinho!
    Gostei do texto, vc escreve bem! Passarei daqui mais vezes!!!
    Até!!!

    =)

  40. Norma Sueli disse:

    O texto é bem complexo, e se for falar tudo o que penso, o espaço se torna, pequeno.
    Mas acho que desviar o foco, para as alegrias populares, como futebol, novelas etc. é mais velho que você e eu juntos!
    A visão do brasileiro pocotó, como vc chama, só muda radicalmente, qdo inverte os papéis, passando de empregado, a empregador. Ai sim ele passa a se interessar mais pelos oito ou mais índices, e passa a se interessar por economia e política, deixando de confundi-las.
    Vc é exemplo vivo disso.
    A maioria não se interessa em ter espírito empreendedor, por puro comodismo, isto é cultural, o povo é folgado, não quer se preocupar com isso acha que já faz muito acordando, tomando o busão, pegando trânsito, almoçando a “malmita” sendo pressionado pelo patrão, para maior produção e lucro!
    Qdo chega em casa a noite, só quer mesmo é assistir novela e ver futebol, e qdo começa o horário político, aproveita pra ir ao banheiro dar aquela bela …… Rsrs!
    Nada contra quem goste de novela ou futebol!
    É triste, mas esta é a realidade da maioria do nosso povo!
    Um beijo, vc sabe que adorei o texto!e já tivemos oportunidade de comentá-lo em primeira mão!rsrs

  41. Valérie disse:

    não Júnior, o texto saiu da minha cachola mesmo! rsrsr

    beijiocas

  42. Olhos de Mel disse:

    Júnior! Passando pra desejar um bom dia! E deixar um beijo.

  43. Lula disse:

    Falei queu vinha? Li tudinho!
    Quanto ao futiba, eu até gosto (ja gostei mais) só não gosto é de torcedores, aqueles sabe?
    E eu confesso que tbm quero abrir qualquer coisa que me dê dinheiro, talvez escreva um livro “Como ganhar o MÁXIMO de dinheiro sem fazer a MÍNIMA força” (Pronto, nessa eu ja abrangi a parte da economia, também).
    Me parece que vi, ai pelo meio, que seu blog é ranzinza!!?? Seu blog é ótimo cara! (mesmo porque sabemos que quem dita tudo procê é o cérebro da casa, um tal de Ozzy, e o humor dele, pelo menos nas fotos, parece ótimo, mesmo tendo sido “roubado” naquela jóia valiosa, que sabemos que alguém vendeu em vista do sobe e desce da famigerada economia nacional). hehehehe.

    P.S.: Comentei que lembrei de vc qdo passava pela Paulista pq não sei de onde tirei que vc ou mora pela região ou tem seu negócio por lá. Acho que errei. Mas me diz pelo email, ai eu vou pra gente tomar umas cervejas (EU PAGO).

    Abraços JUNIOR AMIGÃO.

  44. os avestruzes vão à praia

    Amanhã é o dia do feriado, que coisa maravilhosa de boa né?
    Feriado as pessoas vão à praia, vão passear no parque, ao shopping, cinema, assistem filmes piratas do dvd e curtem com a família, a namorada. Fazem aquele churrasquinho de miolo de a…

  45. […] E do jeito que as coisas vão, se eu quiser continuar com o Frigideira vou precisar aprender a desenhar bananas, maçãs, abacaxis… Porque o brasileiropocotó que quando lê não compreende, num futuro bem próximo não vai mais saber ler. Vai ficar olhando com cara de bobo para os desenhos, vou desenhar a bunda da mulher samambaia (alguém me contou que não é mulher alface), vou desenhar celebridades sem calcinha. Eles vão ficar olhando e rindo, aquele riso bobo, com a baba escorrendo pelo canto da boca. Dããããã Vou buscar o crédito da charge e coloco aqui em breve. […]

  46. […] Com o voto facultativo, um bando de avestruz (o coletivo está correto?) iria molhar a bunda em água salgada (ou não) no dia das eleições, e deixariam as decisões importantes desse país nas mãos de quem realmente se importa com elas (as decisões), ou com ele (o país), dependendo do ponto de vista. Ainda assim, seriamos democráticos, ainda mais democráticos. Acaba de me ocorrer que podem me chamar de elitista intelectual, podem sim, azar. Meu? Não. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: