ressaca de natal

O natal foi embora mais rápido do que chegou. É interessante, ele chega com quase 2 meses de antecedência, mas vai embora com a pressa de quem não agüenta mais as nossas caras feias, ou não seríamos nós que não agüentamos mais o natal? Eu sofro de alguma síndrome de percepção distorcida, ou, o natal não tem muito encanto para as novas gerações? Se as minhas percepções estiverem certas, dentro de uns 20 ou 30 anos, o bom velhinho vai restringir seu trenó aos países nórdicos, mas o capitalismo terá um novo representante, bléeh!

Eu também percebi infinitas manifestações religiosas, o que não significa grande mérito dado à origem da comemoração. Mas é interessante perceber que para maioria das pessoas que tem uma religiosidade forte, sobretudo as das religiões cristãs, a ausência de alguma religião implica automaticamente na ausência de fé. Vi pessoas supostamente inteligentes falando coisas assim.

Fui criado por um quase padre, sim, meu pai passou 11 anos da sua vida em um seminário, estudando e orando no anseio pela ordenação pela ordem franciscana, infelizmente pra ele, problemas de saúde acabaram com seu sonho (essa história é mal contada). Nem precisam dizer que se não fosse por isso eu não teria nascido, eu sou filho adotivo.

Passei minha criancice indo à igreja, freqüentando os cursos para primeira comunhão, crisma e tals. Só não me fizeram coroinha por este não existir na nossa paróquia. Meu pai chegou a embutir em mim a idéia de ser padre, eu por um curto período cheguei a aderir ao absurdo, idiotinha que era.

De fato, minha família é de um catolicismo inconteste, para mim, simplesmente obtuso. Eles compreendem que eu tenho fé, mas não compreendem como posso não aceitar os dogmas da igreja católica. Isso, aliás, é muito simples, sou mais movido pelo que consigo entender do que pelo “inexplicável”. Explicação inclusive, para eles é uma palavra completamente proibida quando se trata de religião, não importa o quanto os estudiosos apresentem fatos, entra por um ouvido e sai pelo outro. É sempre muito interessante eu conhecer a bíblia muito mais do que eles, e acreditar nela muito menos. Sempre que estamos juntos me salta aos olhos as manifestações religiosas, usam-se o nome de Deus a cada sentença, eu sempre pensando: olha eles infringindo mandamentos novamente. É como se a sua religiosidade precisasse ser exibida, como um atestado de idoneidade, é ridículo.

Em verdade vos digo, minha família me tem muito fora do seu contexto.

Eu estou usando a minha família como exemplo, mas eles refletem o católico médio, que ainda não tenho um apelido, como dei ao brasileiropocotó. Eles refletem uma parcela gigantesca da sociedade – a qual eu respeito, mas não sinto a recíproca – de gente que confunde fé com religião. Para piorar, as pessoas de religião tendem a discriminar as pessoas de fé.

Ainda na semana passada, minha sócia falava sobre a sua impressão de ter sido trocada na maternidade, ela acreditaria cegamente nessa hipótese não fosse sua acentuada semelhança física com pai e avó. Esse sentimento é alimentado pela diferença de idéias e comportamentos entre ela e sua família.

Agora, passada à festa mais importante do ano e mais uma confraternização familiar, eu poderia dizer a ela que eu tenho o mesmo sentimento, mas que no meu caso, a troca foi verdadeira, só não ocorreu na maternidade.

Anúncios
Publicado em variedades
21 comentários em “ressaca de natal
  1. Carla disse:

    Todas as famílias têm sua história e seus caminhos a seguir. A minha também não é diferente. E, às vezes, coisas não vão de encontro ao que queremos e pensamos, né? Faz parte… Agora, é pensar no reveillion,né? Bjus.

  2. Seus pais seguem o ensinamento de Jesus.Tanto é que vc pensa diferente deles e eles não analisam, aceitam.Jesus veio para nós e não por nós.Por isso muita gente se ofende por não ser o centro do Seu universo.Deixa o povo fazer o que quiser com suas crenças…!!!Somos livres no arbítrio.

  3. Suzy disse:

    Junior, acho que a maioria de nós sente essa sensação de ter sido trocado pelo menos uma vez na vida…amo meus pais, mas me sinto também muito diferente.
    Adorei seu post!
    E volte sempre que vou gostar muito.

    Grande abraço

  4. Lino Resende disse:

    junior:
    Uma bela colocação entre o que é a fé e a religião. Estou com você e, neste caso, sou como você. De uma família católica, mas não católico, embora não seja ateu.
    É difícil para a família média entender isso. Acho que ocorre por ser a fé uma espécie de muleta onde muitos se escoram.

  5. Chico disse:

    Rapaz,

    Você tocou em um vespeiro..

    Mas eu compartilho de uma visão parecida.. Esse foi um ano cheio de perdas e no sábado mesmo fui a uma missa de 7º dia dedicada a pai e filho vítimas de um terrível acidente…

    Acredito fortemente na idéia de que o mundo sem religiões seria um mundo melhor.. Mais ainda, que a ausência de religião não implica na ausência de fé, muito pelo contrário.. A situação inversa é um dos sustentáculos à existência das instituições.. O que seria de qualquer das religiões sem essa idéia de que a fé se vincula ao culto ?

    Bom, voltando ao assunto da missa de sábado.. Por mais que eu não consiga ver sentido em muitos pontos tocados durante o culto em si, eu compreendo e vejo algo de bonito na forma como algumas pessoas se agarram ao ritual, aos princípios da religão por elas abraçada e tiram dali força e fé durante momentos tão difíceis..

    Sinceramente, gostaria de ver o dia em que o homem acordasse para o fato de que a fé está presente dentro de si mesmo.. Não por onipresença divina de qualquer que seja sua crença, muito menos pela necessidade de uma instituição a se julgar proprietária do monopólio das telecomunicações entre este plano e qualquer outro existente…

    Teorias à parte, o importante é o respeito ao próximo, independentemente das diferenças religiosas que possam vir a existir…

    Quanto ao Natal, não acredito que este seja mais vinculado ao nascimento do menino Jesus..Pelo menos, não é assim que o vejo…

  6. cilene disse:

    eu acho que religiao e fe nao andam juntas..acho que e necessario ter fe que senao o mundo nao tem sentido…nem esperanca, ja religiao? nao tem importancia..

  7. DO disse:

    Que explanação bela e sensata,JUNIOR.
    Tbem tenho percebido,cada vez mais,uma incrivel diminuição do aspecto religioso do Natal ( deveria existir outro ? ).
    Mas vejo que a própria igreja católica ( no meu caso ) tem ajudado demais para que isto aconteça.
    Enfim,como leigo,não tenho base pra analisar tão bem como vc que,conviveu com um ex-seminarista. Mas a verdade é que qto mais se estuda,menos se entende ( e se acredita ) nas religiões.
    Abraços!

  8. Julia disse:

    Seu post é otimo! Imagine que em algumas linhas pensei que você estivesse falando da minha pessoa e é claro que não é de mim pessoalmente, mas de uma vivencia similar de milhões de pessoas.A diferença no meu caso é não ter sido adotada.Mas educada em um convento colegio PENSÃO, exatamente, pra não frequentar ninguem que fosse de familia “humilde” facilmente adotados por mim.Imagine na epoca eu ja era elitiste imagine minha familia…Na escola convento pensão, considero ter vivido momentos de MUITAS alegrias dividida com minhas colegas e pode crer os ensinamentos biblicos diversos e a missa todos os dias, era OBRIGATORIO. Mas a obrigatoriedade, jamais me desviou, do meu for interior, de ter a minha fè personalisada e não a crença que nos bombardeavam diariamente.ESTOU COMPLETAMENTE DE ACORDO COM VOCË, O MAIS IMPORTANTE NA VIDA DE ALGUEM é o RESPEITO de SI E AOS OUTROS, A HONRA, A CORAGEM, A HUMILDADE, A DECENCIA etc…Quanto ao natal SAIBAM JAMAIS, coloquei qualquer arvore de natal na minha residencia particular.Mas vivi rodeada de arvores de natal na minha familia e na casa dos meus amigos e conhecidos.Jamais faço presentes de natal na data de 25 de Dezembro.Cardapio especial natal, não tem na minha casa porque sendo exigente, todos os dias, é dia de cardapios excepcionais ao ponto que, nem bebo agua em copos feios e nem gosto de louças feias hehehehehehehehe Faço presentes SEMPRE FORA DE DATAS COMERCIAIS.Os presentes de aniversario Faço uma semana antes da data hehehehe Como podem ver sou UM ANJO QUE CAIU DO CEU POR DESCUIDO HEHEHEHEHEHEHEHEH Abrs

  9. Beth disse:

    Jr,
    Concordo quando vc diz que respeita as pessoas e elas não respeitam.
    Sou Cristã, e já disso isso lá no blog. Mas do que a minha religião, que eu realmente gosto, AMO ao meu Deus, esse sim, merece toda honra e glória.
    As pessoas deveriam ser mais concientes, e isso independe da fé!
    Em nenhum momento meu relacionamento com amigos e familiares seria abalado, em circustãncias normais, por divergencias religiosas.
    Mais do que pregar os ensinamentos de Cristo, deveriamos agir como ele, e ai concordo novamente com o fato de vc conhecer a Biblia mais do que os que pregam. Essa é a grande diferença do religioso p/ que crê!
    O religioso prega, aponta, as vezes humilha(isso na minha religião tb), e o que crê apenas crê, e como isso faz diferença aos olhos de Deus.
    Mas desde que o mundo é mundo as pessoas precisam de alguma coisa p/ se apegar, e que seja então nesse momento de Natal, que p/ mim é o ano todo, afinal, Cristo nasce em mim todos os dias da minha vida, o espírito religioso.
    Um cheiro, e bom Ano Novo!
    Esse sim, sem cunho religioso, mas de eperança!!!!!!

  10. Djunior, daqui 20 ou 30 anos só vão existir os paises nórdicos, é o que dizem os cientistas que estudam as camadas de ozônio e tals ..:)hohoho

    Também estou de ressaqué! e não pelo efeito da bebida.

    Beijo grande

  11. Junior, acho que o mundo seria melhor sem religião. Pelo menos as religiões que ouço falar e das que me cercam nos colegas de trabalho, academia, etc, etc e que cheias de falsidades, de mentiras e de acomodações. Para mim defeitos imperdoáveis.
    Mas eu gosto de natal. Do meu natal. Da troca de presentes, das decorações nos shoppings e até das comidas. Gosto tanto, que a decoração aqui em casa é permanente.
    Liliane de Paula

  12. Valérie disse:

    é complicado colocar todos os católicos ou religiosos no mesmo balaio e tenho certeza que nem de longe, esta não foi sua intenção.

    Para mim Fé é a ALMA, religião, o CORPO. Neste mundo nosso que cada dia APARENTAR é melhor que SER, é lógica esta valorização da “demonstração de fé”=religião. Mesmo que seja hipócrita e desvairada! eheheh

    Como acontece na política, na economia, na sociedade…

    Outra coisa: quando nos envolvemos muito em uma religião tonramos céticos. Isto já aconteceu comigo. Hoje minha Fé em Deus é muito maior que minha religão em si.

    Bijinhos

  13. deia disse:

    Falar sobre fé e sobre religião não é coisa fácil, mas quem disse que vc só fez algum dia , um post fácil de se comentar.
    Eu tenho muita fé e sigo uma religião assiduamente, pq eu gosto , me faz bem e pq creio que é assim que deve ser, mas sei que em todos os lugares há pessoas que vivem somente por aparência, isto é um desastre em qq lugar, não só na religião.É uma pena que poucos lembram do verdadeiro significado do Natal, que nós só estejamos pensando em comer, trocar presentes, ou nos dias de folga pra salgar a bunda na praia grande.
    Qual de nós lembrou de dar um presente pro aniversariante?
    O que vc daria a Ele?
    Saudades meu amigo.
    Espero que em 2007 seja um ano de muitas realizações, muito amor, saúde, paz, tudo dentro da normalidade da vida.
    Beijos, beijos

  14. NEGÃO disse:

    Pouco mais de um ano atrás, meu primo e a esposa “tornaram-se” evangélicos. É uma neura sem fim. Aquela velha visão de que “minha religião é que realmente leva a Deus, é melhor do que a sua, blá, blá, blá”. Infelizmente, nunca senti a fé que você citou acima dentro deles. Sentimento confirmado após ele enfiar a mão na cara do filho de 20 anos ontem, dia de Natal, por um motivo mais do que babaca. Taí a prova de que fé e religião, como você disse, além de não serem sinônimos, são constantemente confundidas pelas pessoas.
    À propósito: o fato de ser adotado não é nenhum tipo de demérito. Pelo contrário, acho que é motivo de orgulho, já que pessoas que não te geraram, decidiram criá-lo como se fosse parte delas. Isso é do cacete!

  15. Posso dizer que nao tenho religião. Fui batizado e fiz catecismo, mas não sigo 10% das diretrizes da igreja católica. Me entitulo deísta. Ou seja, quem acredita em uma força maior, mas sem se ligar a uma doutrina.

    Fico impressionado como cada vez mais pessoas têm adotado esta posição em relação à fé. Por outro lado, existem católicos e evangélicos tão neuróticos que contariam por vinte pessoas normais.

  16. Aldemir Silva disse:

    O que dizer então dos sentimentos que os ateus despertam nesses católicos médios (ainda sem apelido)?

    Nunca fui cristão. Nem batizado sou. Agradeço a meus pais por isso. Não cresci num seio religioso e isso foi determinante pra que estabelecesse meus conceitos como são hoje. Por isso a data em si não representou nada para mim, mesmo tendo participado da oração no momento da ceia (não pudia fazer essa desfeita diante dos quase 20 familiares).

    Para mim a religião é nociva ao homem em alguns aspectos, já a fé não. Essa é individual.

  17. Amei a faixa da postagem anterior!!! hehehehe
    E como já disse em meu blog, eu gosto muito mesmo do natal, porque acho que sinto bastante o espírito natalino, não o espírito natalino piegas que acredita em presentes e papai noel, mas eu realmente sinto o espírito de renovação e amor que o natal propõem. Se as pessoas deixassem de lado essa idiotice de presentes e roupa nova, talvez elas sentissem também o natal como eu sinto e não achariam que é apenas mais um feriado do ano. Posso até dizer que em meu natal ocorreu um “pequeno” milagre…

    Beijos Júnior e um execelente 2007 pra você e pro Ozzy!

  18. Flavia Sereia disse:

    Eu tb estou de ressaca do Natal, quero é que março chegue logo!!

    bjs

  19. “Em verdade vos digo, minha família me tem muito fora do seu contexto.” hahuhauhauha

    Passou rapidinho mesmo… Mas não me deu ressaca! E sim alívio! A pressão familiar sempre me incomoda! Porque não tenho carrão, casa própria nem nada! E toda hora emagreço e engordo! Ou seja, costumo fazer mais sucesso que peru na hora da ceia… Assunto nunca falta… rsrs

  20. Flávio disse:

    Júnior, meu pai tb era ex-seminarista; no caso dele, a libido falou mais forte, eu acho: foram 4 filhos! 😉 Qt a religiões, concordo com vc; acho qué o principal é acreditar em Deus e viver de acordo com a conscîência, sem dogmas ou imposições. Mas vc já viu isso no smeu slivros, né? 😉 Abração, Feliz 2007!

  21. Claudio disse:

    Eu tenho um sentimento de fé, mas não de religião. Nenhuma delas me agrada e, no fundo, fica aquela sensação de “comércio da fé” que eu abomino. Mas respeito todas as religiões e seus adeptos. Na verdade, queria é divulgar minha seita: “a seita cheque”, baseada nos princípios do Bispo Maiscedo e do Banco Central.

    Estou afastado da blogosfera nesse período, mas não resisti em olhar as frituras da frigideira, ok?

    abração e feliz 2007

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: