as bolsas e o caldicana

placa+errada

Post com Update

Eu tava contratando mais um entregador, garoto novo, pra dar oportunidade. Pagamos o salário mínimo e condução, registro em carteira e tals, pro cara fazer entregas de bike aqui no bairro. Coloquei o anuncio na fachada e apareceu o faxineiro da Universidade Caça Níqueis aqui da frente oferecendo o filho, mandei ele trazer o guri. No dia seguinte apareceu o senhor faxineiro com o meninão a tira-colo, vou reproduzir um ótimo trecho da minha curtíssima entrevista com o garoto.

Junior: Eaê broder, belezinha mesmo?
Candidato: Opa.
Jr: Legal, quantos anos você tem?
C: 19.
Jr: Estuda?
C: Agora não, mais estudei até a oitava série.
(quando ele disse isso eu pensei: “legal, ele estudou o mesmo que eu”)
Jr: Legal. Já trabalhou?
C: Trabaiei de pedrero, faxinero e ajudante.
Jr: E qual você gostou mais?
C: De faxinero.
Jr: Por quê?
C: Ahh porque foi o que eu trabaiei mais tempo né.
Jr: Ahhh quanto tempo?
C: 1 mês e meio.
Jr: (longo silencio)
Jr: E de pedreiro?
C: 15 dias
Jr: (longo e penoso silêncio, “ai meu saco, oito da manhã, o que eu to fazendo aqui?”)
Jr: Bom, preenche essa ficha aqui pra mim.
C: Ahhh eu não sei preenchê ficha não.
Jr: Não? Mas você não estudou até a oitava série?
C: Mais eu não sei escrevê não.
Jr: Tá, lê esse endereço nessa ficha de entrega aqui.
C: Não não, não sei lê endereço não.
Jr: Mas você não estudou até a oitava série?
C: Ahh a gente só durmia e zuava na escola, o pai ganhava a bolsa se nóis istudava.

Bom, eu mandei o pobre diabo pra casa né, porque oportunidade ele e os irmãos já tiveram e eu não sou nenhum discípulo do Dalai Lama. Ficamos eu e a minha sócia tentando chegar a alguma conclusão sobre rir ou chorar, preferimos rir, o que você faria?

Vocês podem até argumentar que o ensino é uma merda e tals, que os estudantes passam de ano sem precisar estudar, eu concordo tanto que até falei isso aqui várias vezes. Acontece querido leitor, que fui eu quem pagou pra ele fingir que estudava. Eu e você pagamos para os professores fingirem que ensinam e eles fingirem que aprendem, até aí eu tô acostumadão. O que mais me dói é que somos nozes que pagamos o Bolsa Escola para os pais fingirem educar seus filhos pobres diabos.

Agora me responda, se o Bolsa Escola sai do meu bolso, com qual das minhas caras de idiota você quer me ver ao ouvir coisas assim de um pobre diabo?

O ensino pode ser uma merda, mas eles não estão muito diferentes, se quisessem teriam feito a diferença, mas nem ao menos se preocuparam em se alfabetizar. Acontece que eles não querem, têm uns poucos gatos pingados que querem e esses acabam virando garotos propaganda de algum programa da unicef e aparecem nos tele jornais da plin-plin. Mas a esmagadora maioria não quer nada com nada não, e o incentivo pra isso vem de cima. O pai pode até ser faxineiro, isso não tem nada demais, mas eles moram em Sampa e recebem informação por todos os lados, a escola ta na esquina e eles estão rodeados de todos os tipos de exemplos, cabe a eles escolher os que querem seguir. Me parece que eles querem seguir o exemplo do certo, do que vai passar a vida nas costas dos outros ao invés de seguir os maus exemplos daqueles que pensam em progresso e trabalho.

Podem até falar que eu to repetindo uma retórica antiga, que sou classista e tals, eu nem contaria esse causo se esse fosse um caso isolado, mas como sempre falo aqui, convido diariamente com os pobres diabos, tenho centenas de causos assim e até piores pra contar, qualquer hora conto a história do cara dos mil real. Por enquanto, se alguém quiser me dizer que eu entendi tudo errado, manda bala, fica a vontade que eu gosto de começar a semana rindo.

Upadate

Tava ouvindo o Dimeinstein agora de manhã na CBN, ele falava sobre a dificuldade dos estudantes das escolas públicas se manterem na USP. Pra quem não sabe a USP é uma ilha de excelência no ensino público, sua seleção dificílima e competidíssima é famosa por (obviamente) dar maiores chances aos candidatos oriundos de escolas particulares de primeiríssima qualidade, gente que normalmente já fala mais de uma língua, que fez intercâmbio em outros países e por aí a fora. Mas lá também existem muitos alunos que mesmo tendo todo seu passado escolar baseado nas péssimas escolas públicas conseguiram entrar na USP (sem políticas de cotas). Esses heróis sofrem com a enorme dificuldade em se manter na USP porque não terem grana pra pagar transporte, alimentação, moradia e tals. Eu não disse que se o pobre diabo quiser ele faz a diferença? Ao invés de gastar com o bolsa escola pra quem não quer nada com nada não seria mais produtivo custear os estudos de quem realmente quer evoluir?

Update II
Depois dizem que eu sou cri cri

Anúncios
Marcado com: ,
Publicado em brasil
17 comentários em “as bolsas e o caldicana
  1. Tina disse:

    Oi Junior!

    Eu fico pensando se choro ou se choro… Eh dureza, mas eh a mais pura realidade e como ele, existem outros milhoes por ai.

    beijos querido e boa semana.

  2. Thássius disse:

    Eu choro. É dinheiro jogado fora. E ninguém pode se dar o luxo de jogar dinheiro fora.

  3. raquel disse:

    Me parece que eles querem seguir o exemplo do certo, do que vai passar a vida nas costas dos outros ao invés de seguir os maus exemplos daqueles que pensam em progresso e trabalho.

    o errado virou certo e o certo, errado.
    triste realidade.

    o que fazer, junior?

    um beijo!

  4. Flavia Sereia disse:

    Júnior eu quase nunca concordo quando se falam que a educação está péssima e tal, no meu ver o que falta é interesse dos alunos. Se vc tem interesse, vc estuda, aproveita, pergunta, faz pesquisa, lê sobre o assunto. Puta merda, no meu tempo não havia a internet para saber mais, hoje muita gente tem e não aproveita. No tempo que fiz o meu curso de nutrição eu não tinha acesso a internet, fico pensando o quanto teria aprendido mais se tivesse acesso.

    Dias atrás aconteceu o seguinte com o vizinho, um rapaz de seus 20 e poucos anos, ele trabalhava numa padaria, como balconista, um dia o chefe pede para ele fazer entregas no bairro, ele se recusou pq é balconista e não entregador, resultado foi mandado embora. Quando eu digo que esse povo não quer trabalhar não estou mentindo.
    Resultado teve que voltar para a cidade dele, pq ficar morando sem ajudar o amigo ( ele morava com um amigo) era que não ia dar.

    É phoda né?

    bjs

  5. Fala Junior!

    Também sou do pensamento que a educação básica no Brasil é dinheiro jogado fora. Mas creio ainda, que pior que isso, é ver uma geração sendo jogada fora.

    Abraços!!!

  6. Olá Junior,

    Estou entrando em contato novamente para tratar da Parceria Comercial mencionada via e-mail em 18/09/07.
    Continuamos interessados no Frigideira.

    Aguardo um retorno para iniciarmos a negociação.

    Grata,
    Thais Iglesias

  7. Bruna disse:

    Pois é, Ju, pode até ser mais do mesmo, mas nem de longe deixa de ser revoltante. Não dou risada, não consigo. Minha única ação é ficar pasma!!!!

    Saudade de você.

    Beijo grande.

  8. Carla disse:

    Seria cômico se não fosse trágico, Júnior! Esse momento seu demonstra bem a quanto anda a educação no nosso país.
    Só nos resta lamentar, porque a minha e a sua parte, com certeza, nós fazemos, mas… o resto você bem sabe.
    Bjo.

  9. Luma disse:

    Vou generalizar, porque existem raras exceções: Brasileiro acha feio ser empregado, não gosta de trabalhar, acha um saco estudar e não tem paciência com nada que delegue um mínimo de esforço. Bom mesmo é contar vantagens para o amigo no boteco da esquina, contar umas mentirinhas que não vão arrancar pedaços de ninguém. Brasileirinho adora dizer que matou o outro no papo.
    Júnior, você foi tapeado! O garoto mentiu na cara dura para conseguir o emprego.
    Quero ser iludida assim, pensar que o garoto mentiu, ao invés de constatar que a juventude brasileira está fadada ao fracasso. Somos também responsáveis por isso?
    Beijus

  10. Cejunior disse:

    Exemplar este “causo”! Isso é a cara do Brasil, simplesmente isso! Toda uma geração está indo pelo ralo abaixo e outras a seguirão, se nada mudar nessa nossa terra…
    Dá vontade de chorar!!!

  11. DO disse:

    Claro que eu concordo com vc e,confesso,até dei umas risadas.
    Mas e´mesmo pra chorar. Ou pra se revoltar?
    Gostei tanto deste seu post que gostaria que vc me autorizasse a republicá-lo por la num futuro Papiro Amigo,JUNIOR.
    Posso?

    Grande abraço!!

  12. Norma Sueli disse:

    Estou aqui rindo pela segunda vez.
    A primeira quando ouvi esta história pessoalmente. E agora pelo texto transcrito!
    Mas realmente deveria estar chorando! Pois sou eu, você, enfim nós, os responsáveis por isto! Afinal nos pagamos para uma série de coisas que são fictícias e uma delas é a Educação despe País. E fingimos que acreditamos que esta tudo bem!
    Beijo!

  13. DO disse:

    Valeu pela autorização,JUNIOR

    Abração!!

  14. Perifas disse:

    Cara, ótimo o teu texto.

    Penso que enquanto nesse país acharem que ser pobre é virtude a coisa não vai andar. Ser pobre não impede ninguém de estudar, é sim, mais difícil; por todos os motivos que o teu texto citou, mas não impossível.

    O problema não é ser pobre de renda mas de espírito. Bom, mas isto é óbvio, não?

    Grande abraço!

  15. Vi disse:

    Oi Junior.. As vezes, quando olhamos as bases que formam – uma – e a “nossa” Nação dá um certo desânimo não é mesmo? pois ver corrompidos o Sistema Educacional, O Judiciário e o Poder Militar, a Política (os) e até a Religião é como fechar o tempo, não! E ai acho que por amor, nos damos estas desculpas como o texto do blog e que gostou.
    Mas eis que junto a tudo isto: Estamos nós!!! Então pq não ter um pouquinho de esperança!!!

  16. Cristina Lima disse:

    POis é Jr. O garoto ficou na escola até a 8ª série, não sabe falar, ler e/ou escrever. O que será que dizem os professores dessa criatura. Na minha saudosa 6ª série, eu fui REPROVADA por 0,25 em geografia (materia que eu ainda detesto).Não adiantou chorar, pedir pelo amor de Deus, fazer promessa para nunca mais conversar durante a aula e muito menos minhas excelentes notas em portugués e história. Perdi um ano inteiro por causa de míseros 0,25 . Isso não dava nem um ponto! Imagina essa “galera” ?

  17. Valerie disse:

    Oi querido!!!

    Fico um tempão sem aparecer e encontro como sempre os textos que dizem tudo que eu penso!

    Parabén Júnior!

    Estou imprimindo para mostrar na escola!

    Beijão para vc e para Criadora

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: