Cultivando Amigos

Ainda não tenho “aquela” cozinha equipada, meu canteiro de ervas aromáticas ainda não está produzindo e minha composteira ainda não gerou o precioso adubo orgânico. Mas tem feito muito frio por aqui, e por isso, dá-lhe sopas. Fiz creme de abóbora duas vezes seguidas. Aqui no Vale Europeu – como as secretarias de turismo gostam de chamar a região onde moro – culturalmente falando abóbora é comida de dar pros porcos e ninguém dá muito valor pra ela, a não ser o gerente do super mercado, sacaram a contradição?

creme de aborora


Confesso que nunca fui lá um grande fã de sopas, só as achava gostosas de fazer, fazia pelo prazer de fazer, fazia para agradar quem não fica sem elas. Cozinhar é isso, lembram? É diferente de fazer comida pra comer. Cozinhar tem tudo a ver com amor e os fins não justificam os meios, se não for isso é mais ou menos por aí.

Mas escrevendo, lembrei de uma coisa interessante, vejam só. Mesmo não sendo lá muito fã de sopas este foi o primeiro prato que preparei para a Bianca, a moça que faz aqueles lindos presentes criativos. E ela sempre diz que eu a conquistei com uma sopa que tinha um sabor diferente de tudo que ela já havia provando até aquele dia. Isso é que eu chamo de cozinhar com amor (risos). Além do amor tinha também o sabor da mandioquinha que ela nunca havia provado e que aqui por estas bandas é chamada de batata salsa. De certo mesmo é que agora eu gosto mais das sopas, com mandioquinha ou sem elas, como é caso dos caldos de abóbora.

Aliás, me ocorreu mais uma coisa sobre os prazeres de cozinhar. Cozinhar é bom, mas é muito melhor quando cozinhamos para quem tem “boca boa”, não é verdade? Ter boca boa não tem nada a ver com comer feito um glutão, você sabe do que eu estou falando. A pessoa boca boa é aquela que come com aquela boca gostosa de quem está sentindo prazer em saborear seu prato, aquela boca que come sem culpa, que se lambuza, que geme ao comer, huuumm. Bom é cozinhar pra quem gosta de comer.

Esse texto já virou uma salada mesmo comigo dizendo “foco Jotaerre, foco”, mas não rolou. Acho que foi efeito da visita da Luma que me cobrou dar mais atenção a este espaço e me lembrou do manifesto slow blog. Eu já tinha gostado da ideia muito tempo antes de lançarem o manifesto, já que tenho blogado super hiper mega devagar (risos). Mas teve mais gente me cobrando, né Tina, com seus Sabores & Aromas, to em débito com você e com Silvia também, mas eu apareço, heim.

Eloy e Patricia

Foco Jotaerre, foco. Não adianta, virou salada. Há umas semanas recebemos o Eloy e a Patricia por uns dias aqui em casa (e para eles preparei massa alla bolognesa) e eles nos presentearam (eu ganhei) com um timer de cozinha super lindão que eu adorei. Timers são importante para muitas coisas, para assados e cozinhos, inclusive o do meu ovo, 4 minutos e ele fica no ponto de comer com colher, ótimo pro brunch. Lembrei que no natal eu ganhei um avental, mas acho que talvez por ser vermelho eu o tenha perdido no meio da reforma.

Timer de Cozinha

Mas e o meu canteiro de ervas? A terra foi preparada e ficou lá descansando. Tomou chuva, tomou sol, foi mexida e remexida para só depois de umas semanas ganhar suas primeiras mudas, o que por coincidência foi hoje. Primeiro a cebolinha e salsinha, o cheiro verde de todos os dias, talvez amanhã o alecrim, dill, coentro. Vai ter manjericão e alfavaca. Vou colocar a Hortelã em um vaso, pois ela é danada de invasiva. A propósito, eu morei uma vida em apartamentos e nem por isso deixei de ter minhas floreiras e vasos com minhas ervas preferidas fresquinhas e felizes, basta um pouco de sol e carinho que elas “vem que vem”, como dizemos por aqui (meu Santo Isidóro, eu usando expressões como “carinho” no meu blog, quem te viu quem te vê, heim Jotaerre).

canteiro de ervas

Mas já que eu falei de invasivas, aproveitei a terra preparada pra fazer “vir” umas mudas de Fisalis que depois vou transplantar para a beirada de umas das cercas. Você gosta de Fisalis? Eu adoro, o Ozzy e a Ballerina também, aliás, o cão Ozzy acompanha tudo bem de pertinho. Eita vidinha mais ou menos.

Anúncios
Marcado com:
Publicado em cozinha
11 comentários em “Cultivando Amigos
  1. nossa, adorei esse post, literalmente de dar agua na boca! nao sou muito das sopas mas confesso que depois de ler o que vc escreveu fiquei com vontade de apreciar uma sopinha, apesar do calorzinho bão da california (é verão aqui). bom ver gente que gosta de cozinhar pra quem aprecia comida e nao somente pra quem gosta de comer!!!

  2. comentario meu #2: abóbora é ótima. que comida de porco que nada!!!
    parabens pelas ervinhas crescendo no jardim!!!

  3. Eloy Labatut disse:

    Gostoso ver o Escalafobético voltando à ativa. Deu saudades de vocês, logo aparecemos de volta aí no “Vale Europeu”, já que vocês não vêem à “Manchester Catarinense” (também odeio estes títulos ridículos)
    Legal ver o canteiro recebendo as primeiras mudas. O hortelã é invasivo sim, mas também é excelente para espantar alguns insetos que podem predar a sua horta. Talvez o trabalho de podar ele compense.

  4. Com esta mesa e as delícias que prepara também quero ser sua amiga do coração!! huahauhau brinksssss

    Olhao Eloy comendo muito aí!!!! huahuah

  5. Junior,

    Esse post seu ficou meio “sopa de pedra”. Mas como sopa de pedra, deu para matar a “fome”.

    Menino eu fiz a tal da berinjela em conserva, consegui que ela resistisse dois dias na geladeira, daí recebi minha irmã e meu cunhadinho no domingo e só deu ela, (a berinjela) que era só para experimentar, não sobrou nada.
    Fiz de novo nesse fim de semana, tá com um preço bom a danada, mas não vai durar até um mês para eu saber como ela fica curtida! Que faço? Escondo onde? É irresistível, uma delicia. \isso por que eu nem posso comer, não curei ainda meu estômago!
    Eu sou muito grata a você por essa receita, já tinha comido algumas vezes, mas ninguém queria me explicar como se fazia.
    Estou aguardando a sardela agora.

    Beijossss

  6. Luma disse:

    A vida é boa, fala verdade!! E não precisa de cozinha equipada! 😀

    Abóbora até pode ser comida por porcos, assim como melancia, mandioca… porco come tudo e acho que antigamente as rações não eram tão populares como hoje, por isso o povo dava todas as sobras da lavoura para os porcos. Se você perguntar para um veterinário, ele vai te dizer que esses alimentos não podem ser as fontes principais na alimentação dos animais, porque produzem apenas “energia”, eles não assimilam as vitaminas como nós.
    Da abóbora se aproveita quase tudo – as sementes ficam ótimas no preparo de pães. Já coloquei em substituição ao gergelim e ficou ótimo!! 😀 Ah, sabe as flores? Ficam ótimas nos caldos. Saudade da vovó!
    Tenho uma modo de fazer abóboras no forno que fica uma delícia, se quiser te passo a receita.
    Júnior, gosto dessa maneira mais descontraída de escrever e não é salada! É o modo como falamos no dia a dia e o blogue fica mais aconchegante! Até me senti sentada ao redor dessa mesa e feliz por ter te animado mais a escrever aqui!
    Também tenho a minha hortinha e já falei dela no blogue – http://luzdeluma.blogspot.com/2009/10/ecological-day.html – acho importante o contato de toda a família com a terra. Uma erva que não pode faltar em casa é Alecrim – Bom para colocar em jardineiras perto das janelas, que ela espanta os pernilongos e o chá é muito bom para dores de cabeça. Nos assados é muito bom e nas batatas, nem falo!!
    Percebeu que gosto de comer! Mas também de participar da feitura dos alimentos e o inverno é a estação ideal para reunir a família e os amigos em torno do fogão.
    Bom apetite!!

  7. Aldo Georges Lopes disse:

    Fala Jr…
    Que bom ver voce escrevendo de novo no escalafobetico… Nao pare… Um abraço do amigo… Aldo…

  8. anunciação disse:

    O Ozzy é uma graça e deve saber o que é bom;pode ser vergonhoso mas não sei o que é fisalis;não sei se o objetivo do blog seria esse mas se você colocasse umas fotos e orientasse d e v a g ar como fazer para plantar esses temperos e demais coisas gostosas,seria muito bom.Costumo dizer pra mim mesma que sou o outro lado da cozinha:o lado que aprecia;quem sabe eu não seja uma boca boa?E esse comentário quase fica como o post,uma salada.Eu gostei,do post é claro.

  9. Olá Junior,

    Vou lá no google ver o que é esse tal de filasis, rsrrss.
    Eu amo sopa e de todo jeito, mas já que citou a mandioquinha, ela é minha preferida. Mas a de abobora, de batata, de folhas verdes, o que for, eu nao recuso. Menino, eu sempre vivi cercada por hortas também e agora que estou indo para mimnha mini casa própria, até tenho um quintalzinho, mas todo “acimentado”, falei pro marido que quero nem que seja uma “horta suspensa”. Estes suportes grandes que as pessoas compram para plantar flores, nao sei o nome, jardineira, seria? Então….
    Super beijo!

  10. Ooooooopssss, fisalis:
    achei: As plantas do gênero Physalis são herbáceas ou arbustivas e conhecidas no mundo todo por seus frutos saborosos e de aspecto singular. Elas pertencem à família Solanaceae, a mesma dos tomates, berinjelas, batatas e pimentões

  11. Tina disse:

    Oi Júnior!

    Gostei da “salada” e a ordem dos fatores não altera o produto que é ter você por aqui contando da vida para a gente. Linda de viver está a sua horta e eu vou repetir que “morro de inveja-boa” pois aqui em SP fica difícil, motivo pelo qual tenho que me contentar com a horta-prá-lá-de-longe da minha filhota. rs

    Eu a.m.o sopa e inverno também, não me canso de repetir, você chega lá…

    beijos querido e carinho meu para vocês 2.

    PS: Some não… você faz falta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: