Saudosa Frigideira?

vesícula biliar

Nos últimos dias, talvez motivados pelas eleições, vários queridos amigos virtuais ou não, mencionaram suas saudades dos meus textos na época da Frigideira. Textos de uma época em que eu abordava apaixonadamente e de forma bastante contundente assuntos de interesse (ou deveriam ser) do brasileiro sobre política, direitos e deveres, indignação, responsabilidade social, responsabilidades políticas, cidadania, honestidade.

Antes de continuar quero dizer que sou grato pelas palavras de todos, sempre tão gentis (ou não), e dizer que sou apaixonado por cada um de um jeito diferente.

“De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto” Rui Barbosa

Mas então, num dia eu me peguei chorando durante uma refeição, chorando de raiva, de impotência diante de mais uma absolvição de mais um político envolvido até o pescoço em corrupção, mais um exemplo escancarado do corporativismo sujo que se tornou o conjunto de pilares da nossa democracia.

Temperei meu almoço com as lagrimas de raiva por saber que, enquanto eu estava ali sentindo tudo isso, a estúpida maioria dos brasileiros, literalmente falando, estava mais preocupada com a escalação do Dunga, ou com a mais recente baixaria do amante travesti do Ronaldo fenomeno, ou com o outro jogador Ronaldo com cara de travesti, ou com a merda do Pânico na TV, ou com qualquer barbaridade do circo de horrores que o brasileiropocotó gosta de chamar de diversão.

Então eu parei. Sabe por quê? Porque se você consegue dar ao brasileiro poder para comprar um aparelho de DVD ele rouba os outros comprando pirataria. Se você inclui ele digitalmente ele rouba os outros baixando pirataria. Se você dá pra ele condições de se endividar até o pescoço pra comprar um carro ou uma moto, não demora e ele tá comprando peças no desmanche mais próximo.

Sobrou uma merreca e ele corre pra 25 de março comprar as porcarias falsificadas ou contrabandeadas, receptadores de produtos ilegais que são. Brasileiro que é brasileiro tem orgulho de ser assim, tão brasileiro. Políticos é que são os ladrões.

Sempre disse aqui que a classe política de um país é reflexo do seu povo. Não importamos políticos da Polônia, nossos políticos são daqui mesmo. O brasileiro é assim, ele é corrupto por natureza. Ele compra contrabando pra dar de presente no dia das crianças. Brasileiro é Gerson, brasileiro é Ricupero, não tem escrupulos.

E não adianta reclamar, não adianta aparecer aqui você professor, estudioso, sociólogo, teórico ou teólogo só pra me encher o saco porque eu dou uma banana pra você. Me poupe, me presenteie com a sua indiferença, me afague com a sua ausência. Exercite você o seu patriotismo colocando a sua bandeirinha nacional na janelinha do seu carro financiado daqui à 4 anos, na próxima copa (em 2014), regurgitando seu amor pelo brasil assistindo os euro-brasileiros milionários da seleção. Até o paraguai faz patriotas mais legítimos que você, certamente aprenderam com os argentinos.

Eu não sou santo, mas também não sou hipócrita. Não sou coitadinho não. Não sinto mais vergonha dos políticos do que sinto do brasileiro.

Hoje eu não me importo com Dilma ou Serra, não to nem aí. Seja quem for, o próximo presidente (e a Dilma tá aí, mas cadê o PAC, mãe?), pode apostar que ele não dará ao brasileiro mais do que ele merece. Nenhum dos candidatos é melhor que o outro e se há algo que os todos tem em comum é estarem, todos, cagando e andando pra você. Sabe por quê? Porque tá todo mundo cagando e andando pra eles, pros deputados, pros senadores, pros ministros, pro STJ, pro TCU, ninguém tá nem aí. Contanto que tenham o próximo técnico da seleção para distraí-los, a nova mulher alface, contanto que não mexam no seu 13º, nas suas bolsaalgumacoisa, nos seus feriados carinhosamente marcados no calendário. Contanto que ninguém o conclame a deixar de ser coitadinho recebendo as migalhas do próximo governo paternalista em pilulas de crédito nas casas Bahia.

E se por acaso eu estiver errado e um deles se importar um pouquinho só com o povo então não será este o eleito, pois, o povo não o merece. Quem merece politico bom é o Chileno, o Uruguaio, o Paraguaio (e tão cagando na democracia deles), os Argentinos… Brasileiro merece Lula, merece Dilma, Serra, Collor, Renan, Sarney, merece o Zé Dirceu (e o Carlinhos Cachoeira, não podemos deixá-lo de fora), não são eles que estão aí regozijando com a sua indiferença, com o seu jeitão todo brasileiro de ser?

No dia que a minha ficha caiu eu parei, até quando não sei.

Anúncios
Marcado com:
Publicado em a frigideira
Um comentário em “Saudosa Frigideira?
  1. […] This post was mentioned on Twitter by Eloy Labatut, Eloy Labatut. Eloy Labatut said: @JosaJr está revoltado com políticos e ainda mais com os eleitores. Triste é saber que ele só fala a verdade. http://is.gd/f1DnM […]

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: